19 abril, 2016

Livro de Ouro da Infantaria MCMXIV - MCMXVIII

(Comissão Técnica da Arma de Infantaria). Lisboa. Na Tipografia Fernandes & Cª. 1922. In-fólio de 285 págs. Encadernação do editor (encadernador Paulino Ferreira). Ilustrado com frontispício e vinhetas decorativas do pintor Carlos Reis. Ilustrado. [O Livro de Ouro da Infantaria foi editado pela comissão técnica desta arma como uma contribuição para o conhecimento da participação de Portugal na Primeira Grande Guerra. Iª parte: Discursos proferidos na sessão solene da Sociedade de Geografia de Lisboa em 10 de Junho de 1920. Discurso proferido pelo Presidente da República António José de Almeida comemorando os mortos na Grande Guerra. Discurso do Ministro da Guerra João Águas. Discurso do Coronel Henrique Monteiro professor da Escola Militar. IIª parte: Artigos publicados a partir da colaboração da Arma de Infantaria: A Infantaria através da história, Agonia heróica, Brio de soldado, Sentinela, Merecida homenagem, Raid, o Culto da baioneta, as Companhias indígenas expedicionárias, o 022, o Inferno, Nhamacúrra, Negomano, a Acção de 14 de Março de 1918, Herói ou mártir, Soldados do 24 de Infantaria na trincheira da Flandres, Evocações, o Raid do 21, 'João Serra', o Morteireiro, Infantaria portuguesa no Cuanhama, Heróis obscuros, evocação da narrativa de um combatente, Richeburg Saint Vast, o quadrado da Mongua em Angola, a infantaria indígena de Moçambique, a retirada de Newala em Moçambique, glórias do batalhão de infantaria nº 12, aos mortos do 15 e do 13, o meu louvor, a 2ª brigada na Flandres, em louvor de São Tarata, proclamação ao batalhão de infantaria 23 do CEP. IIIª parte: Algumas alocuções proferidas nas sessões solenes realizadas nos quartéis, para inauguração das lápides comemorativas dos mortos da infantaria em 10 de Junho de 1920: aos regimentos de infantaria nº 4, 12, 22, 5, 4, 33, 28, e de metralhadoras nº 3. IVª parte: Louvores colectivos às unidades de infantaria. Vª parte: Lista completa dos mortos da arma de infantaria na Grande Guerra em Angola, França e Moçambique. As fotografias da obra foram executadas pelo fotografo Garçês do Serviço Fotográfico do CEP e as restantes pelos Serviços Gráficos do Exército. As imagens cromolitografadas focam nomeadamente: colunas militares, vista lateral das trincheiras e abatizes, interior de uma enfermaria, marcha do CEP sob o Arco do Triunfo em Paris, soldados do CEP em descanso, exercícios com baioneta, um bivaque das tropas do CEP, soldados dentro do reduto, os fortins na savana africana, a progressão no terreno farpado da Flandres, uma ambulância do CEP, vista panorâmica de um fortim em Moçambique, o uso de máscaras na Flandres, panorama das trincheiras da Flandres e os seus parapeitos da retaguarda, sepultura inglesa de um português, panorama de uma coluna a passar a vau um rio africano.
Bom exemplar com sinais de uso na capa..
€ 90,00

Sem comentários:

Enviar um comentário